Você conhece o código de ética dos arquitetos e urbanistas?

Recentemente o CAU aplicou a primeira advertência condenando arquiteta paulista por prática de reserva técnica com base na Resolução n° 52, de 6 de setembro de 2013 o código de ética de Arquitetos e Urbanistas.

O código de ética é a norma do CAU/BR que define responsabilidades éticas e  visa recuperar valores essenciais da profissão. O texto traz princípios, regras e recomendações que devem ser igualmente observadas pelas sociedades de prestação de serviços com atuação no campo da Arquitetura e Urbanismo.

O texto é separado por obrigações do profissionais da seguinte forma:

Obrigações Gerais

Obrigações para com o Interesse Público

Obrigações para com o Contratante

Obrigações para com a Profissão

Obrigações para com os Colegas

Obrigações para com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU)

Entre outras definições, o documento traz as seguintes obrigações éticas para arquitetos e urbanistas:

Autonomia: exercer e defender a autonomia própria da profissão liberal, de modo que prevaleçam as melhores considerações artísticas, técnicas e científicas sobre quaisquer outras.

Sustentabilidade: considerar o impacto social e ambiental de suas atividades profissionais na execução de obras sob sua responsabilidade e respeitar os valores e a herança natural e cultural da comunidade onde esteja prestando serviços.

Lisura: abster-se de solicitar ou receber quaisquer honorários, remunerações, comissões, gratificações, vantagens, retribuições ou presentes de qualquer tipo em troca de especificações de produtos ou insumos de fornecedores.

Transparência: Condicionar todo compromisso profissional à formulação e apresentação de proposta técnica que inclua com detalhe os produtos técnicos a serem produzidos, sua natureza e âmbito, etapas, prazos, a remuneração requerida e sua forma.

Interesse público: ter ciência de que arquitetos e urbanistas que trabalham em órgãos públicos não podem atuar como parte interessada nos processos que tramitam pelo órgão, nem exercer influência para favorecer ou indicar terceiros para resolver eventuais dificuldades.

Ao descumprimento da norma poderá o profissional receber 4 tipos punições podendo ser cumulativas, que são estabelecidas na Resolução n° 58, de 5 de outubro de 2013.

I – Advertência

II – Suspensão entre 30 (trinta) dias e (um) ano do exercício da atividade de arquitetura e urbanismo em todo o território nacional;

III – Cancelamento do registro;

IV – Multa no valor entre 1 (uma) a 10 (dez) anuidades.

Esse post teve o objetivo de iniciar o código e transmitir alguma informações relevantes, indicamos que todos leiam na íntegra os textos do Código de Ética e Disciplina para Arquitetos e Urbanistas  e vamos deixar os links abaixo:

Você também pode denunciar profissionais que infringem o código aqui
Espero que tenha gostado, deixe sua opinião nos comentários.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s